De que maneira podemos gerar jovens imaginativos e ousados nas escolas do século XXI?

Com toda essa mudança de pensamento e ações, ver esse novo aluno diante do ensino convencional, adentrados na sala de aula em inúmeras fileiras, à frente de uma lousa repleta de assuntos, deixou há bastante tempo de ser o modelo da educação sublime. A estrutura, mais do que nunca precisa ser modernizada, reciclada e inovadora, se pensando em uma nova aprendizagem, para que possa acarretar anseios e desejos a esse aluno por meio de tentativas e práticas em todas as áreas de estudo.

Pensando nessas alterações de comportamentos, o professor se torna o antagonista dessa história e descentraliza toda a sua temática, se apropriando de um novo personagem importante que possa inspirar e consolidar a sua parceria. O professor precisará comprometer o aluno com o conhecimento, indicando, recomendando e conduzindo-o durante esse caminhar, através de uma trajetória mútua, sendo cúmplice nesse processo de educar. Precisará ainda saber entender o limite de compreensão desse aluno, aliado às buscas realizadas diante de uma autonomia única dele, dentro dos conteúdos curriculares ou até mesmo orientados e demandados por esse educador.
   
Para somar com essas mudanças e condutas diferenciadas nessa nova educação do século XXI, existe uma modalidade de conteúdos que só faz contribuir e agregar valores positivos no aprendizado dos alunos. Estamos falando na Educação Empreendedora, uma inovação que muitas instituições escolares desconhecem e que trabalha características empreendedoras, mostrando ao aluno que ele é o protagonista nesse contexto. O aluno aprende a desenvolver ações que venham a ter o seu próprio negócio no futuro, podendo até mesmo orientar os pais e familiares na condução do seu empreendimento.

São trabalhados os passos para a construção de um plano de ação, seguidos de um monitoramento onde o educador dá toda a assistência ao aluno. Os professores são capacitados e aplicam a metodologia aos alunos e no final do processo eles elaboram um grande encontro empreendedor, mostrando suas aplicabilidades, seus dons e a visão de um futuro empresário. 
        
Desta forma, o aluno recebe o papel de personagem principal na condução de sua aprendizagem, adquirindo com isso, o compromisso de realizar as articulações no grupo, trabalhando em equipe na sala de aula, definindo as ações, até mesmo corrigindo os argumentos quando necessário e persuadindo sempre de maneira suave, saudável e assertiva os demais.

Podemos observar que nessa nova roupagem de ensino, visando o século XXI é importante a utilização dos assuntos convencionais, contudo o aluno deve deixar fluir a compreensão de solucionar situações diversas, despertar a percepção intelectual e discernimento de moral e princípios. As avaliações devem tomar um novo rumo, eliminar a imagem de algo ruim, de repreensão e tornar uma prática de aprendizagem prazerosa.

Quando o aluno possui na sua essência o conhecimento direcionado ao outro, ele atinge a emancipação, o comprometimento, a versatilidade, firmeza, adotando procedimentos baseados em princípios de integridade, honestidade, inclusivos, sustentáveis, cooperativos e unidos uns aos outros, contribuindo contudo, com o intuito de erguer uma comunidade com sonhos e desejos alcançados.  
Todavia, nós temos que agregar todo o conhecimento necessário para as instituições escolares nessa nova era. Agregando a tecnologia, a inovação e as habilidades desse aluno que vem trazendo a mudança no olhar da educação.

Para encerrar esse artigo, é possível dizer que a persistência e a determinação fazem parte de todo o processo quando se deseja crescer dentro de uma via empreendedora. Por isso, como qualquer conquista que queiramos atingir com êxito, é preciso estar por dentro das características que o tornarão um grande empreendedor.

Entenda como podemos lhe ajudar clicando AQUI e agende uma reunião gratuita conosco.

 


  • 1
Exibindo 1 de 1